Trecho do Livro

Filadélfia

 

Não, eu não vou falar de uma viagem aos EUA ou algo do gênero, mas sim de um filme que eu acabei de assistir. Começo a minha história ouvindo justamente Streets of Philadelphia de Bruce Springsteen, uma música belíssima que ganhou Oscar de melhor canção original em 1993. Isso faz mais ou menos 24 anos contando a época que estamos. Logo, há 24 anos eu tinha 10 e obviamente não fazia ideia de quem viria a ser Bruce, quiçá Springsteen.

Esse é um filme bem antigo, um clássico. Se você não assistiu faça o favor mas se você demorou como eu não sei o porquê, assista, vale a pena.

Por ironia do destino aqui estive eu assistindo e basicamente ele fala de um advogado homossexual que tinha AIDS e trabalhava num grande escritório, mas foi demitido por algum preconceito da época. O que mais me chamou atenção foi como um filme tão antigo poderia ser tão atual? Faz 24 anos você tem noção quão a frente do seu tempo esse escritor era? Imagina você fazer um filme que abordasse 3 temas tão delicados e meio tabus até hoje, (homofobia, AIDS, homossexualidade), há mais de 20 anos? Um tanto quanto polêmico.

Mas o que reflito fazendo um link com hoje é que será que paramos no tempo??? Como se passaram tantos anos e não só algumas como muitas pessoas agem ainda num formato tão quadrado e antiquado? Logico, eu gostaria de afirmar que hoje a grande maioria das pessoas não saem das suas salas ao ver um filme com algum tema que não concordam, mas no mesmo nível excluem amigos das redes sociais por não pensarem iguais a você!! Acredito que você não perca o emprego ou não entre nele por ser portador de alguma doença ou deficiência mas há casos que você não é admitido com a ideia que foi pelo perfil e na realidade não é o motivo real! Acho que hoje não se termina um relacionamento ou se afasta de alguém por alguma condição do outro, mas colocamos diversas barreiras antes de irmos adiante com algo, e isso as vezes e inconscientemente é intrínseco a você, a algo que você previamente não aceita. É obvio e é claro que as coisas mudaram, existem leis, mais diálogo, livros, blogs, vlogs, cabeças mais abertas, alguns olhos mais fechados, vidas menos sofridas, mas que ainda existe muito preconceito isso existe e não podemos negar. Mas não estamos aqui para falar ou entrar nesse mérito tão delicado que é a cabeça e o pré-julgamento de cada um. O que a meu ver podemos e devemos fazer é falar sobre o que é tabu, sobre o que não se tem conhecimento, conversar mais, tentar amenizar, suavizar, deixar tudo mais leve, mais livre, assim mesmo, simples! Por exemplo como mais de 120 brasileiros são infectados por HIV diariamente e QUASE NINGUÉM fala sobre isso? Porque os poucos canais de comunicação onde portadores do HIV falam sobre suas histórias são de homossexuais? Porque ainda pensamos que essa é uma doença de minorias quando NÃO, não é e está aí para qualquer um ver. Porque a primeira reação ao se descobrir nessa nova vida é a de se esconder quase como se você fosse um criminoso? Quase como se a partir do momento que você pegasse o resultado você perdesse toda a sua identidade, tudo que você é morresse ali e você passasse a ser apenas a pessoa com HIV/AIDS? Porque mesmo a grande maioria sabendo como se infecta ainda temos tanto pavor e medo dessas 4 letras? Talvez a gente não tenha resposta quando estamos do lado de lá, mas quando passamos para o lado de cá percebemos um outro mundo. Um mundo chato, injusto e hipócrita, mas ao mesmo tempo um mundo de descobertas e amor.

Enfim, essa é uma história sobre a vida como ela é, mas sobretudo, sobre amor, carinho, fé, superação, dor, perda, recomeço, silêncio, mudança e um mundo de coisas. Porque pessoas normais choram diante da dor … as pessoas sensíveis a transformam em poesia! E a poesia em forma de vida está toda aí!

 

Só que para você entender essa história eu vou voltar um pouquinho, alguns anos atrás …

 

 

(um dia a vida me bateu com tanta força que me ensinou a resistir … um dia mentiram para mim de tal maneira que me doeu e então, eu aprendi a sempre seguir em frente com a verdade … um dia me falhou quem eu menos imaginava e entendi que as palavras dever ser cumpridas e os atos assumidos … Às vezes, é preciso virar a página e começar do zero ….embora custe ou doa ….O melhor guerreiro não é quem sempre triunfa, mas quem volta sem medo à batalha).